Sites Grátis no Comunidades.net

Jovem Guarda

Jovem Guarda


 

"Isso é apenas uma mostra de um momento maravilhoso em nossa vida.

Momento em que o sonho e a realidade ocupavam o mesmo espaço, o mesmo lugar.

Os corações pulsavam no ritmo do ié ié ié ou nas baladas românticas da Jovem Guarda.

Baladas que falavam do sonho comum de milhares de jovens. Da namorada. Do carrão. Do beijo no cinema e coisas assim.

É claro que isso foi em um tempo em que o jovem ainda pagava o Milkshake das meninas. Tempos de longos suspiros e grandes amassos.

Amassos que não podiam passar das 10 da noite.

Os Beatles cantavam Yesterday e a Jovem Guarda cantava Gatinha Manhosa.

Os Beatles cantavam Help! e Erasmo Carlos arrebentava com Festa de Arromba. Festa de Arromba que era a Jovem Guarda.

Na plateia do Teatro Record as meninas gritavam e choravam a emoção de verem seus ídolos de perto.

Mas tudo isso será sempre um momento presente na nossa vida.

Um momento em que o gosto daquela fruta chamada juventude, de vez em quando a gente vai sentir sentir na boca, toda vez que lembrar ou escutar uma canção da Jovem Guarda.

A fruta que a gente mordeu e jamais esqueceu o gosto"

(Introdução de Roberto Carlos à música Nossa Canção ao vivo)

 

"O futuro pertence à Jovem Guarda, pois, a Velha Guarda está ultrapassada"

 

Parafraseando um discurso de Lênin inicia-se no Brasil em 22 de agosto de 1965, um movimento liderado pelo já consagrado Rei da Juventude, Roberto Carlos.

Proibida de transmitir os jogos do Campeonato Paulista a TV Record via suas tardes de domingo sem opção, fazendo com que os telespectadores debandassem para a TV Excelsior que desde 1964 liderava a audiência com o programa Festival da Juventude.

A Jovem Guarda a exemplo da Beatlemania que já era um febre no mundo, mescla elementos de comportamento, música e moda.

Ao contrário de outros movimentos este não tem cunho político.

 

Aqui você ouve os melhores momentos daquelas jovens tardes de domingo.

 

Ao clicar nas músicas você será remetido ao UOL.

 

Interaja conosco pedindo a música que quer ver postada aqui através do Fale Conosco.

 

Boa viagem!

 

 


Contar toda a biografia de Roberto Carlos seria algo cansativo para o leitor que está mais interessado em ouvir suas músicas, por isso vai aqui apenas uma pincelada de sua vida.

Nascido no interior do Espírito Santo, na cidade de Cachoeiro de Itapemirim, é o quarto e último filho do relojoeiro Robertino Braga (27 de março de 1896— 27 de janeiro de 1980) e da costureira Laura Moreira Braga (Mimoso do Sul, 10 de abril de 1914 — Rio de Janeiro, 17 de abril de 2010). A família morava no bairro do Recanto, numa casa modesta, no alto de uma ladeira. Os demais membros da família eram: Lauro Roberto Braga, Carlos Alberto Braga e Norma Moreira Braga, a qual Roberto Carlos carinhosamente chamava Norminha.

 

Aos seis anos de idade, no dia da Festa de São Pedro, que é o padroeiro da cidade de Cachoeiro do Itapemirim, ele foi atropelado por uma locomotiva a vapor e sua perna direita teve de ser amputada até pouco abaixo do joelho. Até hoje ele usa uma prótese, mas evita falar no assunto.

 

Ainda criança aprendeu a tocar violão e piano - a princípio com sua mãe e, posteriormente, no Conservatório Musical de Cachoeiro de Itapemirim. Apesar de seu sonho de infância de ser arquiteto, dedicou-se à música. O ídolo na época era Bob Nelson, um artista brasileiro que se vestia de cowboy e cantava música "country" em português. Incentivado pela mãe, cantou pela primeira vez em um programa infantil na Rádio Cachoeiro, aos nove anos. Apresentou-se cantando o bolero "Amor y más amor". Como prêmio pelo primeiro lugar, recebeu balas. O cantor recordaria anos depois o momento, relatado na obra "Roberto Carlos em Detalhes", de Paulo Cesar de Araújo: "Eu estava muito nervoso, mas muito contente de cantar no rádio. Ganhei um punhado de balas, que era como o programa premiava as crianças que lá se apresentavam. Foi um dia lindo." Tornou-se então presença assídua do programa, todos os domingos acreditando no seus sonhos de cantar.

Ele já era sucesso antes dessa música, mas foi ela que fez com que ele ficasse mais em evidência.

 

Quero Que Vá Tudo Pro Inferno

 

 

Clique no link e ouça a música

 

http://mais.uol.com.br/view/12428197

 


Erasmo Carlos - Festa de Arromba

 

Erasmo Esteves (Rio de Janeiro, 5 de junho de 1941), mais conhecido como Erasmo Carlos, é um cantor e compositor brasileiro.

Sua parceria com o cantor Roberto Carlos certamente é a de maior sucesso na história da música popular brasileira, tanto em termos de venda Erasmo já vendeu mais de 10 milhões de cópias em seus 50 anos de carreira, quanto em termos de regravações, feitas por artistas de todo o Brasil e do exterior.

Junto com Roberto Carlos, compôs mais de 500 canções, gravadas tanto por Roberto Carlos quanto por inúmeros outros cantores.

 

 Biografia

 

 Início da carreira

 

Erasmo Esteves nasceu no bairro da Tijuca na Zona Norte do Rio de Janeiro, sua mãe saiu da Bahia grávida de um homem que não quis assumir a paternidade.

Erasmo conhecia Sebastião Rodrigues Maia (que mais tarde seria conhecido como Tim Maia) desde a infância, entretanto a amizade só viria na adolescência por conta da febre do Rock and Roll.

Em 1957, Tim Maia montou a banda The Sputniks, os membros da banda eram Tim, Arlênio Lívio, Wellington Oliveira e Roberto Carlos.

Após uma briga entre Tim e Roberto, o grupo foi desfeito, Wellington desistiu da carreira musical, o único remanescente era Arlênio que no ano seguinte resolveu chamar Erasmo e outros amigos da Tijuca, Edson Trindade e José Roberto, conhecido como "China" para formarem o grupo vocal "The Boys of Rock".

Por sugestão de Carlos Imperial o grupo passou a se chamar The Snakes, o grupo acompanhava tanto Roberto quanto Tim Maia em seus respectivos shows.

Erasmo foi apresentado a Roberto por Arlênio Lívio, Roberto precisava da letra da canção Hound Dog, sucesso na voz de Elvis Presley, então Arlênio disse que Erasmo seria a pessoa que possuiria tal letra, pois este era um grande fã de Elvis, Roberto descobriu outras afinidades com Erasmo, além de Elvis, ambos gostavam de Bob Nelson, James Dean, Marlon Brando, Marilyn Monroe, torciam para o Vasco da Gama.

Quando fazia parte do The Snakes, Tim Maia ensinou Erasmo a tocar violão.

O The Snakes chegou a acompanhar, o cantor Cauby Peixoto em sua inusitada passagem pelo rock, na gravação de "Rock and Roll em Copacabana" de 1957 e no filme "Minha Sogra é da Polícia" (1958), onde o cantor interpreta a canção "That's Rock" composta por Imperial.

Nos tempos da juventude também conheceu, Jorge Ben Jor, na época conhecido como Babulina e Wilson Simonal, que também foi agenciado por Carlos Imperial.

Erasmo resolveu adotar o nome Carlos no nome artístico em homenagem ao Roberto Carlos e a Carlos Imperial.

Com a chegada da Bossa nova, Erasmo também se deixou influenciar pelo gênero, Roberto chegou a se tornar crooner cantando Bossa nova, bastante influenciado por João Gilberto.

Antes de seguir carreira solo, Erasmo fez parte do banda Renato e Seus Blue Caps.

Participou efetivamente junto com Roberto Carlos e com Wanderléa do programa Jovem Guarda onde tinha o apelido de Tremendão, imitando as roupas e o estilo de seu ídolo Elvis Presley. Seus maiores sucessos como cantor nessa fase foram "Gatinha Manhosa" e "Festa de Arromba".

Em 1966, Erasmo, Eduardo Araújo e Carlos Imperial foram acusados de corrupção de menores, contudo ele e os demais foram inocentados.

Com o término do programa, entrou em crise, mas conseguiu se recuperar com a ajuda de seu parceiro Roberto Carlos e de sua esposa, Narinha. Nessa fase de transição fez sucesso cantando "Sentado à Beira do Caminho" e "Coqueiro Verde", Roberto e Erasmo eram criticados por cantar e compor Rock e de serem americanizados, Coqueiro Verde foi o primeiro samba-rock gravado por Erasmo.

Chegou a dividir uma apartamento com Jorge Ben Jor, apontado com um dos criadores do estilo, no Bairro do Brooklin em São Paulo.

O disco Erasmo Carlos e os Tremendões já é um trabalho transitório na carreira do artista. O LP, de 1969, traz interpretações muito peculiares de canções de compositores da MPB, como "Saudosismo", de Caetano Veloso e "Aquarela do Brasil", de Ary Barroso (lançada no filme Roberto Carlos e o Diamante Cor-de-rosa em que Erasmo atua com Roberto e Wanderléa) e "Teletema" (canção originalmente interpretada por Regininha, sucesso por ter sido tema da novela Véu de Noiva da Rede Globo), de Antônio Adolfo e Tibério Gaspar, além da primeira gravação de "Sentado à Beira do Caminho".

 

 

Clique no link e ouça a música

 

http://mais.uol.com.br/view/12430128

 


Wanderléa - Pare o Casamento

 

 

Wanderléa Charlup Boere Salim nascida em 5 de junho de 1946 é uma cantora brasileira.

Tornou-se famosa durante a Jovem Guarda. Fez um grande sucesso na época juntamente com seus amigos Roberto Carlos e Erasmo Carlos. Trabalhou como atriz principal na película brasileira "Juventude e Ternura" (1968), direção de Aurélio Teixeira, bem como contracenou com Roberto e Erasmo em "Roberto Carlos e o Diamante Cor-de-rosa" (1968) de Roberto Farias entre outros filmes.

 

Biografia

 

Nascida em Governador Valadares Wanderléa se mudou aos 9 anos de idade para o Rio de Janeiro com a família, para se tornar a mais importante cantora da Jovem Guarda. Já aos 10 anos ganhava concursos em rádios e lançou em 1962 o primeiro compacto. No ano seguinte sai o primeiro LP, "Wanderléa", pela CBS. Na gravadora conhece Roberto(com quem teve um rápido namoro) e Erasmo Carlos, e passa a apresentar em agosto de 1965 o programa Jovem Guarda pela TV Record de São Paulo. Transmitido nas tarde de domingo, o programa teve uma das maiores audiências da época e lançou diversos artistas. Wanderléa e Celly Campelo foram as primeiras estrelas do rock brasileiro. Participou de filmes ao lado de Roberto Carlos e, depois de terminada a Jovem Guarda, continuou a carreira como cantora pop. Atualmente se apresenta cantando seus maiores sucessos, como "Pare o Casamento" (versão de Luís Keller), "Ternura" (Rossini Pinto) e "Prova de Fogo" (Erasmo Carlos).

 

Tragédia

 

Em 1984, o filho de Wanderléa, Leonardo, morre afogado aos 2 anos de idade. O garoto estava andando de triciclo e acidentalmente caiu na piscina. Chegou a ser socorrido mas não resistiu.

Atualmente, um grande sucesso de Wanderléa, "Te Amo", esteve na trilha sonora nacional da novela Caras & Bocas, da Rede Globo. Foi tema do casal protagonista, Dafne (interpretada por Flávia Alessandra) e Gabriel (Malvino Salvador). A mesma música já havia entrado para a trilha de uma novela dos anos 90, Pedra Sobre Pedra. Graças a essa canção, Wanderléa voltou a ter destaque na mídia.

 

  

Clique no link e ouça a música

 

http://mais.uol.com.br/view/12430157

 


Golden Boys - Alguem na Multidão

 

 

É uma das bandas do movimento Jovem Guarda no Brasil. Eles são, na origem, um quarteto doo-wop, formado por três irmãos: Roberto, Ronaldo, Renato Correa José Maria, e um primo, Valdir Anunciação, que faleceu em 2004.

 

Histórico

 

Os Golden Boys começaram a carreira muito jovens, por volta de 1958, como versão brasileira do conjunto americano The Platters. Destacaram-se em apresentações de rádio e televisão, e, inspirados nos quartetos norte-americanos, gravaram vários discos voltados para o público jovem.

 

Os irmãos Roberto, Renato e Ronaldo também atuaram como compositores de canções de sucesso gravadas por outros artistas, além de serem também produtores. Os Golden Boys excursionaram nos anos 60 por países da América do Sul e gravaram diversos álbuns.

 

Os maiores sucessos foram reunidos em uma coletânea de dois volumes da série Melhores Momentos. Algumas dessas faixas são "Cabeção" (Roberto Correia/ Silvio Sion), "Alguém na Multidão" (Rossini Pinto) e versões de músicas dos Beatles, como "Michelle" e "Ontem" ("Yesterday").

 

Após terem se dedicado ao "iê-iê-iê" brasileiro, no final dos anos 60 e início dos anos 70 participaram de vários álbuns de artistas da MPB e do pop-rock brasileiro, álbuns estes que futuramente se tornariam cult e objeto de desejo de colecionadores, como o clássico Carlos, Erasmo de Erasmo Carlos, nos discos de Marcos Valle, e até mesmo do álbum A Matança do Porco do grupo de rock progressivo Som Imaginário.

 

Os irmãos mais jovens formaram o Trio Esperança, com Regina, Mario e Evinha, mais tarde substituída pela irmã mais nova, Marizinha.

 

 

 

Clique no link e ouça a música

 

http://mais.uol.com.br/view/12430209

 

 


Marcos Roberto - Vá Embora Daqui

 

 

Marcos Roberto Dias Cardoso, mais conhecido como Marcos Roberto (São Paulo, 26 de junho de 1941 - Osasco, 21 de julho de 2012) foi um cantor e compositor brasileiro que fez sucesso desde a década de 1960 e na década de 1980 com a música A última carta, que ficou meses em primeiro lugar nas paradas e vendeu mais de dois milhões de discos.

 

 Biografia

 

Um dos cantores mais premiados, ganhou o troféu Chico Viola e vários discos de platina e diamante. Devido ao grande sucesso, participou dos principais programas de rádio e televisão da época. A música "A Última Carta" originalmente é do compositor potiguar Antonio Marcelino Vieira, de nome artístico AMV, falecido em 2006, que doou a letra e a melodia a Marcos Roberto, por ocasião de uma apresentação que este último fazia numa pequena cidade do Rio Grande do Norte, em 1970. A doação de músicas - por pequenos compositores a artistas de renome nacional - era um fato corriqueiro nos anos 60/70, no Nordeste brasileiro.

Marcos Roberto ultimamente era produtor de novos cantores e bandas musicais e continuava compondo músicas. Marcos Roberto foi um dos nomes ligados à Jovem Guarda, nos anos 60, participante do consagrado programa comandado por Roberto Carlos, na TV Record. Participou com grande brilho do show da Rádio América, em 15 de março de 1968, no antigo Cine Piratininga do Bras, espetáculo comandado por José Paulo de Andrade, Sergio de Freitas e Newton Miranda, apresentadores de uma das programações jovens de maior audiência no rádio, na época.

Marcos Roberto faleceu no dia 21 de julho de 2012 aos 71 anos devido a falência múltipla dos órgãos. O cantor estava internado no Hospital Municipal Antônio Giglio, na cidade de Osasco, em São Paulo.

 

 

 

Clique no link e ouça a música

 

http://mais.uol.com.br/view/12433471

 


Dori Edson - Veja Se Me Esquece

 

 

Dori Edson iniciou a carreira por volta de 1959 com o nome de DORI ANGIOLELLA, assinando contrato com o selo Young, especializado em música jovem e versões. Em 1960 lançou sua primeira gravação, “Danny Boy”, lado A de um disco 78 rpm, que trazia no lado B o cantor Marcos Roberto. Este disco também foi lançado em compacto simples de 45 rotações, que estava em teste no Brasil naquele momento. Participou diversas vezes do programa Jovem Guarda, comandado por Roberto Carlos, na TV Record.

Em 1966, transferiu-se para a gravadora Continental e lançou um compacto simples com as músicas “Veja se me Esquece” e “É Uma Brasa”.

Entre 1967 e 1968, o conjunto Os Caçulas lançou no disco, que levava o nome do grupo, duas músicas da autoria de Dori Edson e Marcos Roberto: “Tente perdoar” e “Tudo isso só eu sei”.

Em 1967, já na RGE, lançou seu primeiro LP. Nesse mesmo ano, Marcos Roberto lançou seu primeiro LP com onze músicas em parceria com Dori Edson. Nesse período, Dori lançou um compacto duplo pela Continental com as seguintes músicas: “O canguru”, “Veja se me esquece”, “Rosa Maria” e “Dá o dedinho”, todas de sua autoria. No período de lançamento da música “O Canguru”, Dori Edson e Marcos Roberto ofereceram um prêmio de 2 milhões de cruzeiros a quem lhes levasse um canguru vivo, que seria usado para promoção da referida música.

Em 1968, lançou seu segundo LP, com destaque para a música “Perto dos olhos, longe do coração”, que ficou várias semanas na parada de sucessos. Por essa época, Dori Edson tinha cerca de 100 composições, grande parte em parceria com Marcos Roberto, gravadas por diversos artistas da Jovem Guarda, entre os quais, Waldirene (“Você entendeu meu olhar”), Mário Marcos (“O brinquedinho”), Os Caçulas (“Tente perdoar”), Eduardo Araújo (“Nunca mais adeus”), etc.

Em 1973, teve a música “Separação”, com Jean Pierre, gravada por Jerri Adrani na CBS. Dori participou ativamente as comemorações dos 30 anos da Jovem Guarda. Nos últimos tempos, já adoentado, vivia em Campinas.

Cantor de voz suave, Dori Edson foi, principalmente, um compositor de grande talento e sensibilidade. Ao lado do parceiro inseparável Marcos Roberto (que também anda doente), formaram uma grande dupla de compositores cujas canções traduziam perfeitamente o “feeling” do movimento Jovem Guarda. É deles o clássico “O Tremendão”, música-título do terceiro LP de Erasmo Carlos e que pegou como apelido para ele pelo resto da vida.

- “Foram Dori Edson e Marcos Roberto que chegaram um dia com esse presente, dizendo: ‘Erasmo, nós fizemos uma música pra você e que você vai gostar pra caramba! Veja que eu já tinha essa personalidade de machão, que era passada para outras pessoas” – , lembra Erasmo.

Como cantor, Dori Edson emplacou poucos sucessos radiofônicos, porém, a juventude brasileira jamais esquecerá músicas como “Veja Se Me esquece” (1966), “Perto Dos Olhos, Longe Do Coração” (1968), “Fingimento” (1967) e “Antigas Namoradas” (1973), seu último grande hit.

Faleceu vitima de uma parada cardíaca, ele que já vinha doente há algum tempo e que também participou ativamente do movimento Jovem Guarda. E faleceu exatamente no dia do seu aniversário!

A música está de luto. A Jovem Guarda vem perdendo seus grandes ícones já há bastante tempo
Dori foi sepultado no Cemitério dos Amarais, em Campinas.

 

 

 

 

 

 

Clique no link e ouça a música

 

http://mais.uol.com.br/view/12433519

 


Jerry Adriani - Quem Não Quer

 

Seu nome verdadeiro é Jair Alves de Souza, nasceu em 29 de janeiro de 1947, no Brás, na cidade de São Paulo. Começou a sua vida profissional em 1964, com a gravação do seu primeiro LP, "Italianíssimo", e no mesmo ano gravou seu 2º LP , "Credi a Me".

Aqui uma versão da música Noir C'Est Noir de Johnny Halliday

 

 

 

Clique no link e ouça a música

 

http://mais.uol.com.br/view/12433526

 

 


Renato & Seus Blue Caps - Dona do Meu Coração

 

Grupo formado no final dos anos 50 pelos irmãos Renato, Edson ePaulo Cesar, jovens moradores do bairro da Piedade, no Rio de Janeiro, com o nome Bacaninhas do Rock da Piedade. O primeiro nome foi censurado e o radialista Jair de Taumaturgo sugeriu o nome definitivo, inspirado no conjunto norte-americano Gene Vincent and His Blue Caps. Tocaram no rádio e em programas de televisão, como Os Brotos Comandam, da TV Rio, apresentado por Carlos Imperial. Gravaram o primeiro compacto em 1962 e se notabilizaram principalmente pelas versões que faziam de músicas de língua inglesa (a maioria britânicas), como "Menina Linda", versão de "I Should Have Known Better", "Até o Fim", versão de You Won't See Me" (ambas de Lennon/McCartney e "Escândalo", versão de "Shame And Scandal In The Family" (Donaldson/ Brown). Já em 1963 Edson saiu do grupo e iniciou carreira solo com o nome Ed Wilson . Foi substituído por Erasmo Carlos, que teve uma participação breve no grupo. Tornaram-se um sucesso se apresentando no programa Jovem Guarda, em shows, festas e bailes. Em 1966 apareceram em dois filmes: Na onda do iê,iê,iê (p&b) e Rio, Verão & Amor.er  (colorido).

Aqui uma versão para a música Run For You Life de Lennon/McCartney.

 

 

 

Clique no link e ouça a música

 

http://mais.uol.com.br/view/12433539

 

 


 

Ed Carlos - Estou Feliz

 

Surgiu na época da Jovem Guarda.
Por ter sido apadrinhado por Roberto Carlos, ganhou o epíteto de "Reizinho da Jovem Guarda". Assim como Roberto, com o declínio do movimento, passou a fazer músicas românticas.
Homenageou Roberto Carlos com a música "Roberto, meu amigão", lançada em compacto em 1979.

Essa é a música que lhe abriu as portas para o sucesso.

 

 

 

Clique no link e ouça a música

 

http://mais.uol.com.br/view/12433643

 

 


 

Os Incríveis - Vai Meu Bem

 

Inicialmente, chamava-se The Clevers e, em seus shows, tocavam pricipalmente twist, estilo em moda no início da década de 60. O sucesso veio durante o período da Jovem Guarda, o grupo alterou o nome após romper com o empresário Antonio Aguilar, que era o dono da marca The Clevers, com a mudança de nome e canções populares como "Era Um Garoto que Como Eu Amava os Beatles e Os Rolling Stones".

Ao longo dos anos 70, ex-integrantes dos Incríveis formariam outras importantes bandas do rock brasileiro, Netinho montou a banda Casa das Máquinas e Manito juntamente com Pedro Baldanza e Pedro Pereira da Silva formaram o famoso grupo progressivo Som Nosso de Cada Dia.

Aqui uma música pouco conhecida

 

 

 

Clique no link e ouça a música

 

http://mais.uol.com.br/view/12434929

 


Antônio Marcos - Você Pediu E Eu Já Vou Daqui

 

Trabalhou como office boy, vendedor de varejo e balconista de loja de calçados, passando pelos programas de calouros, para chegar ao rádio e finalmente à televisão. De 1960 a 1962, destacou-se no programa de Estevam Sangirardi evam Sangiraridi tocando violão e fazendo humorismo.

Em 1967 integrou o coral Golden Gate e atuou nas peças Pé Coxinho e Samba Contra 00 Dólar, de Moraci do Val, no Teatro de Arena. Convidado por Ramalho Neto, gravou seu primeiro disco pela RCA, como integrante do conjunto Os Iguais, tornando-se logo solista e fazendo sucesso com a música Tenho Um Amor Melhor Que O Seu (Roberto Carlos), que reapareceu em seu primeiro LP e vendeu mais de 300 mil exemplares.

A partir daí, seguiram-se outros sucessos, como Oração De Um Jovem Triste (Alberto Luiz) e Como Vai Você (com Mário Marcos). Foi lançado no cinema por J.B. Tanko, no filme Pais Quadrados... Filhos Avançados (1970), participando também de Som, Amor E Curtição (1972) e de outros, além de atuar em peças teatrais, como Arena Conta Zumbi (Teatro de Arena, direção de Augusto Boal, 1969) e Hair (Teatro Aquarius, direção de Altair Lima, 1970). Atingiu seu maior sucesso em 1973, com O Homem De Nazaré (Claudio Fontana). Um de seus últimos sucessos foi a canção-tema de O Profeta, telenovela da TV Tupil participava sua futura esposa Debora Duarte. Já casado com a atriz, participaria com ela da telenovela da TV Bandeirantes ém interpretava a canção-tema.

 

 

 

Clique no link e ouça a música

 

http://mais.uol.com.br/view/12437341

 


Bobby De Carlo- A Boneca Que Diz Não

Roberto Caldeira dos Santos, conhecido artisticamente como Bobby De Carlo, nasceu em São Paulo/SP, no dia 30 de junho de 1945.
Bobby desde muito menino tendeu para a música. Os primeiros acordes no violão foram orientados por seu pai, que não reclamava em perder alguns minutos por dia para ensiná-lo. Filho do Senhor Custódio que, como amador, tocava violão e violino. Desde pequeno o jovem Roberto junto com sua mãe Dona Zilah, passava horas ouvindo o Seu Custódio executar ao violão músicas de Dilermando Reis. O jovem Roberto não se limitava apenas a gostar das músicas, porém principalmente pela maneira de seu pai tocar e pelos acordes apresentados, onde despertou o seu interesse em aprender a tocar violão. Do violão para guitarra elétrica foi um pulo. Aos 14 anos com alguns amigos formaram um conjunto, pois o Rock And Roll começava no país e entre os jovens uma grande aceitação. Convidado por um amigo o grupo foi fazer um teste na gravadora Odeon. O resultado do teste para o conjunto não foi muito satisfatório, porém para o jovem Roberto foi o grande início. Além de tocar guitarra no conjunto ele também cantava, foi quando despertou o interesse da Odeon em levar para o seu celeiro de jovens artistas.

 

 

Clique no link e ouça a música

 

http://mais.uol.com.br/view/12509873

 

 


Wanderley Cardoso - Não Posso Controlar Meu Pensamento

 

Morou nos bairros de Pirituba e Lapa em São Paulo.Estudou na escola Guilherme Kuhlmann,onde concluiu o primário(1º a 4º série),no Largo da Lapa,Lapa de Baixo - São paulo. Nascido no bairro paulistano do Belenzinho, começou a carreira de intérprete aos 13 anos. Depois de cinco anos dedicados ao estudos, investiu com força no showbiz. Seu primeiro sucesso gravado em 1965 chamava-se "Preste atenção". Rapidamente se tornou um dos ídolos da Jovem Guarda, ganhando o apelido de "O bom rapaz", título de seu grande sucesso gravado em 1967, que vendeu mais de cinco milhões de cópias. Foi apresentador de rádio e televisão e participou do programa "Os Adoráveis Trapalhões" na extinta TV Excelsior, ao lado de Renato Aragão, Ted Boy Marino e Ivon Curi. O cantor aparece num número musical no filme de 1966 de Renato Aragão, Na Onda do Iê-iê-iê, no qual também pode ser visto Wilton Franco, que criou o famoso programa humorístico para a TV Excelsior.
Depois da Jovem Guarda e dos Adoráveis Trapalhões, foi contratado por Silvio Santos em 1970, juntamente com Paulo Sérgio e Antônio Marcos, para se apresentar semanalmente no quadro "Os galãs cantam e dançam na TV", que trazia além dos 3 (três) contratados fixos, vários cantores convidados. Manteve o romantismo em seus shows e discos.
No cinema protagonizou vários filmes e participou de algumas peças de teatro e telenovelas. Outro de seus sucessos foi "Adeus Ingrata" que lançou no filme "O pobre príncipe encantado", que conta com a participação de Flávio Migliaccio e Vanusa.
Ao longo de sua carreira, gravou mais de 900 músicas e vendeu cerca de dezesseis milhões de cópias de seus 84 discos. Morando no Rio de Janeiro, atualmente é evangélico e canta músicas da áurea época da Jovem Guarda, e suas mais novas canções Gospel. Recentemente lançou um DVD, com participações de vários artistas brasileiros.

 

 

 

Clique no link e ouça a música

 

http://mais.uol.com.br/view/12523158

 

 


 Giane - Dominique

 

Infância e início da carreira

 

Ainda muito pequena se mudou para a cidade de Jaboticabal, tendo passado sua infância entre a cidade e Ribeirão Preto, onde daria início a sua carreira na TV Tupi, canal 3, aos 15 anos de idade. Giane atuou como crooner da Orquestra de Jaboticabal. Em 1962 grava seu primeiro trabalho pela gravadora Chantecler trazendo o bolero "Por Acaso"

Sucesso

Em 1964 alcança grande sucesso com a canção Dominique, versão em português originalmente gravada pela cantora belga Souer Sourire. Giane foi uma das primeiras cantoras no Brasil a utilizar o overdub fazendo segunda voz para si mesma nesta canção. Dominique permaneceu por cerca de seis meses nas paradas de sucesso do país. Conseguiria sucesso ainda com outras músicas nas décadas de 1960 e 1970, se destacando a música "Estrada do Sol", versão de "Alle Porte del Sole" de Gigliola Cinquetti. No auge de sua carreira Giane se apresentou nos principais programas de TV.

Em sua carreira gravou cerca de vinte discos entre compactos e LPs Chegou a ser considerada em sua época um dos rostos mais bonitos da MPB

Dentre os prêmios recebidos em sua carreira artística se destacam o Troféu Chico Viola em 1964 e o Troféu Roquete Pinto como melhor cantora em 1966.

 

Vida pessoal e atualidade

 

Atualmente a cantora reside na cidade de São Paulo e trabalha como revendedora de uma famosa marca de cosméticos. Giane tem duas filhas e seis netos e uma de suas últimas aparições públicas foi no programa Rei Majestade do SBT.

 

Clique no link e ouça a música

 

 

http://mais.uol.com.br/view/13347598

 


Demétrius - Ritmo da Chuva

 

Nome artístico de Demétrio Zahra Neto (São Paulo, 28 de março de 1942) é um cantor e compositor brasileiro.

Tendo começado sua carreira em 1958, integrou a Jovem Guarda no início da década de 1960 e explodiu nas paradas de sucesso com O Ritmo da Chuva. Vendeu milhares de cópias e se apresentou nos principais palcos brasileiros. Ganhou prêmios como o troféu Chico Viola e vários Globos de Ouro e foi presença constante nos principais programas de televisão e revistas da época. Retomou sua carreira após vinte anos longe dos palcos e é dono de uma imobiliária, de uma loja de barcos e até de um quiosque na praia.

 

Clique no link e ouça a música

 

http://mais.uol.com.br/view/13347497

 

 


Trio Esperança - Filme Triste

 

É um conjunto vocal formado no Rio de Janeiro em 1958 pelos irmãos Mário, Regina e Evinha.

Estreou em 1961 no programa de calouros de Hélio Ricardo e em seguida passou a apresentar-se no programa de José Messias, na Rádio Mundial, do Rio de Janeiro,
O sucesso foi atingido com o lançamento de Filme Triste (Sad Movie, versão de Romeu Nunes), incluído no LP "Nós Somos Sucesso" em 1963, ao lado da música, O Sapo (Jaime Silva e Neusa Teixeira).

O trio apresentou-se no programa Jovem Guarda, da TV Record, de São Paulo, destacando-se com Meu Bem Lollipop (My Boy Lollypop, versão de Gerson Gonçalves), Festa do Bolinha (Roberto Carlos e Erasmo Carlos), Gasparzinho (Renato Correia).

Em 1968 a cantora Evinha deixou o grupo e passou a atuar sozinha, conseguindo o primeiro lugar, no "IV FIC", com a música, Cantiga por Luciana (Paulinho Tapajós e Edmundo Souto).

Integrado por outra irmã, Marisa, o conjunto gravou o LP "Trio Esperança", em 1970, com Primavera (Cassiano e Rochael); "Trio Esperança", em 1971, com Na Hora do Almoço (Belchior); "Trio Esperança", em 1974, com Arrasta a Sandália (Roberto Correia e John Lemos); e "Trio Esperança", em 1975, com Marambaia (Henricão e Rubens Campos), todos na EMI-Odeon.

Residindo na Europa, as irmãs Eva, Regina e Mariza continuam ativas.

 

 Integrantes

 

  • Correia José Maria (Rio de Janeiro, 1948)Mário

 

  • Correia José Maria (Rio de Janeiro, 1946)Regina

 

  • Eva Correia José Maria, a Evinha      (Rio de Janeiro, 1951)

 

  • Marisa Correia José Maria, (Rio de Janeiro, 1957)

 

 Clique no link e ouça a música

 

http://mais.uol.com.br/view/13318889

 


Os Vips - A Volta

Foi uma dupla vocal brasileira formada por Ronaldo Luís Antonucci e Márcio Augusto Antonucci.

 Histórico

No iníco da carreira cantavam sozinhos, sob os nomes Ronald Red e Jett Williams, mas no programa de TV Festival dos Bairros, em 1964, resolveram cantar em dupla. Palmeira e Alfredo Corletto, produtores da gravadora Continental, assistiam o programa, e os contrataram.

A primeira gravação da dupla em 1964 foi “Tonight”, composição deles com letra em inglês, incluída no LP da Record “Reino da juventude”, reunindo artistas participantes do programa homônimo apresentado por Antônio Aguilar. O nome da dupla foi escolhido por causa do filme The Vips (1963), com Richard Burton e Elizabeth Taylor, aqui traduzido como Alta Sociedade.

A dupla teve vários sucessos, na grande maioria composições de Roberto Carlos: “A volta” (1966); “Emoção” (1965); “Faça alguma coisa pelo nosso amor” e, com a mudança para a CBS, em 1968, com as músicas também de Roberto: “É preciso saber viver” (1968) e “Largo tudo e venho te buscar”.

Gravaram uma série de versões dos Beatles como Menina Linda (I Should Have Known Better), Coisas Que Acontecem (Things We Said Today), Obrigado Garota (Thank You Girl), Michelle e Submarino Amarelo.

Em 1968 o programa Jovem Guarda foi cancelado pela TV Record; Márcio acabou se mudando para o Rio para trabalhar na Som Livre, enquanto Ronald permaneceu em Santana para montar negócios com o dinheiro ganho pela dupla. O primeiro empreendimento foi o Vip’s Burguer, de 1968, em Santana. O Vip’s Burguer virou rede, com uma filial aberta na Alameda Jaú, nos Jardins, e outra em Atibaia. Em 1969, teve início o Vip’s Buffet, na Avenida Nove de Julho. O bufê e as lanchonetes foram vendidos, posteriormente.

Em 1970, voltaram à Continental e, sob o nome artístico Márcio e Ronaldo, gravaram sucessos como “Só até sábado” (de Lilían Knapp). Em 1976, a dupla se separou e Márcio se tornou produtor da gravadora Som Livre.

Em 1990, um retorno da Jovem Guarda lotou o Asa Branca no Rio de Janeiro. Reunidos, gravaram um LP ao vivo pela Som Livre (“A volta”, lançado em janeiro de 1991 e que vendeu 300 mil cópias). Em 1995, foi lançado um CD quíntuplo com 29 artistas, capitaneados pelos Vips, para comemorar os 30 anos do movimento, e vendeu 3 milhões de cópias.

 

Clique no link e ouça a música

 

http://mais.uol.com.br/view/13318894

 


Tonny Campello - Boogie do Bebê

 

O nome do cantor Tony Campello é Sérgio Beneli Campello. Ele é cantor e produtor. Nasceu na capital paulista, em 24 de fevereiro de 1936. Desde os 9 anos de idade interessou-se por música e passou a estudar sozinho violão e piano.

De 1953 a 1958, fez parte do conjunto " Rítmos OK", de Taubaté. Também cantou com " Mario Genaro Filho e Seu Conjunto"

Em televisão, Tony Campello começou na TV Paulista, segunda emissora de São Paulo, apresentando-se também no programa: " Galera do Nelson", da Rádio Nacional. Em 1958, gravou seu primeiro disco: "Forgive Me". E no verso desse disco, quem gravou foi sua irmã Celly Campello, que também veio a fazer muito sucesso. A música que ela cantou foi: " Handsome Boy". Ambas as músicas eram de Mario Genari Filho e Celeste Novais. Nos dois anos seguintes, Tony apresentou-se com sua irmã Celly e tiveram o programa: " Celly e Tony", na TV Record.

Em seguida Tony Campello gravou seis LPs pela Companhia Odeon, onde estavam sucessos, como: "Boogie do Bebê"," Pertinho do Mar", " Canário", esta gravada em dupla com Celly.

Tony Campello, rapaz muito bonito, também atuou em cinema..Fez o filme: Jeca Tatu", Zé do Periquito".

Em 1961/62, Toni recebeu o troféu "Chico Viola", sendo que o segundo foi com sua irmã Celly.

Em 1974, ganhou o prêmio : " Rock 74", pela produção do disco: " Rock Das Quebradas.

Depois fez várias excursões ao exterior, tendo estado no Paraguai e no Peru.

Tony Campello também se notabilizou como grande produtor musical, tendo trabalhado a música sertaneja. Produziu quase todos os discos do grande cantor sertanejo Sérgio Reis, desde 1967, além da série de coletâneas " Luar do Sertão" da BMG Ariola, nome da RCA Victor, desde 1985.

O cantor continuou sempre a se apresentar em shows por todo o Brasil. Tony Campello é considerado um dos precursores da Jovem Guarda.

 

Clique no link e ouça a música

 

http://mais.uol.com.br/view/13347504

 


 Sergio Murilo - Broto Legal

 

 O cantor Sergio Murilo nasceu como Sergio Murilo Moreira Rosa, no bairro do Catete, no Rio de Janeiro no dia 2 de agosto de 1941 e foi um garoto precoce, que aos 12 anos de idade já animava um programa infantil na extinta TV Rio. Aos 15 anos de idade já cantava no programa “Os Curumins” da Rádio Tamoio.

Em 1956, já era considerado como melhor de cantor de rock and roll e aparecia com freqüência no programa “Trem da Alegria” da Rádio Tamoio, com músicas rock-balada muito em voga na época e principalmente embaladas no mesmo caminho do estilo de canções que faziam sucesso com cantores como Tony e Celly Campello.

Em 1959, começou a participar no programa do Paulo Gracindo na rádio Nacional, quando conheceu o compositor Edson Borges e por intermédio dele conseguiu um contrato com a gravadora Columbia e lançou seu primeiro disco cantando a toada “Mudou Muito”, composição de Edson Borges e Enrico Simonetti e também um samba canção chamado “Menino Triste” de Edson Borges.

Nessa mesma época chegou ao sucesso com a música “Marcianita” de Marconi e Alderete, uma versão de Fernando César, que se tornou um clássico, que chegou a ser reagravado mais tarde por Raul Seixas e Caetano Veloso.

Também obteve um grande sucesso com a música “Broto Legal” de Barnhat, cuja versão foi feita pelo humorista Renato Corte Real. O sucesso levou a participar de filmes como “Alegria de Viver” e também recebeu uma grande reportagem na revista Radiolandia

 Sérgio Murilo também foi um dos primeiros cantores brasileiros de rock a mexer os quadris a la Elvis Presley e também considerado como o pioneiro do rock pauleira ao lançar a música “Lúcifer” que chegou a ser bastante criticada, por ser muito avançada para a época.

 

Clique no link e ouça a música

 

http://mais.uol.com.br/view/13347501

 


Ronnie Cord - Rua Augusta

Quando você ouvir falar de Ronnie Cord pode ser que não se lembre quem era ele, mas se tocar a música “Rua Augusta” ou “Biquíni de Bolinha Amarelinha”, certamente logo se recordará e virá a mente um cantor bem jovem e magro cantando a canção. Esse era ele.

Ronnie Cord nasceu como Ronald Cordovil no dia 22 de janeiro de 1943, na cidade de Manhuaçu, nas Minas Gerais e era filho do maestro e compositor Hervé Cordovil. Como filho de peixinho, peixinho é, o pequeno Ronald começou a se interessar pela música ainda muito pequeno.

Dizem que aprendeu a tocar violão e cantar às escondidas do pai e aos seis anos de idade já dedilhava muito bem. Quando adolescente tinha a intenção de estudar medicina, mas nesta mesma época veio passar as férias em São Paulo, lá pelos seus 15 ou 16 anos de idade, e certo dia acompanhou o pai que era compositor à gravadora Continental e lá descobriu que o cantor Betinho estava necessitando de um cantor para gravar algumas músicas dele.

Ronald ouviu atentamente as músicas de Betinho, mas não chegou a gravá-la, apesar da insistência da gravadora, porém pouco tempo depois retornaria a gravadora com a vontade de gravar um disco e seguir a carreira como seu pai, adotando o nome artístico de Ronnie Cord.

Em 1959, realizou um teste na gravadora Copacabana Discos, no Rio de Janeiro e conseguiu um contrato de gravação. Em 1960 conseguiu realizar uma gravação, participando de um LP coletânea com vários cantores da época.

Nesse mesmo ano também conseguiu gravar o seu primeiro individual, um disco de 78 rotações, contendo de um lado a música “Pretty Blue Eyes” de Teddy Randazy e do outroYou´re Knochin´me Out” de Neil Sedaka e H. Greenfield.

Depois gravou outro disco contendo a música “Itsy Bitsy Tennie Weenie Yellow Pokadot Bikini” de Lee Pocriss e Paul Vance, que se transformou num sucesso, mantendo-se nos primeiros lugares da parada de sucesso, conferindo a ele até o cobiçado troféu Chico Viola daquele ano.

Nos anos seguintes, continuou gravando outros discos e em 1964 já fazia um grande sucesso com a música “Rua Augusta” e também estourava com o outro sucesso “Biquíni de Bolinha Amarelinha”. que na realidade era uma versão da música "Itsy Bitsy Tenni Weeenie Yellow Pokadot Bikini", com a qual ele já havia conseguido um sucesso no começo de sua carreira. Quando o programa Jovem Guarda estreou, Ronnie Cord já era um nome consagrado.

Também por volta de 1965 e 1966 participou do conjunto The Cords e Os Cords, juntamente com seus irmãos Norman e Hervé Junior, assim como atuava em diversos programas na rádio e na televisão, em especial no programa Jovem Guarda, onde ele era presença cativa por essa mesma época.

Com o fim da Jovem Guarda ainda continuou por algum tempo sua carreira lançando outros discos e no início dos anos 70 resolveu abandonar definitivamente, mas assim mesmo esporadicamente aparecia em alguns espetáculos de rock, quando convidado.

 

Clique no link e ouça a música

 

http://mais.uol.com.br/view/13347511

 

 


Sylvinha Araújo - Minha Primeira Desilusão

 

Sylvinha começou sua carreira na década de 1960, lançada por Chacrinha. Na época, apresentou o programa O Bom, com Eduardo Araújo, com quem se casaria (em 1969) e teria dois filhos.

Em 1967 gravou seu primeiro disco, o compacto Feitiço de broto. Entre suas composições de maior sucesso, está "Minha primeira desilusão".

O crítico e produtor musical Nelson Motta chegou a chamá-la de Janis Joplin brasileira, após a versão soul que imprimiu à canção "Paraíba", de Luiz Gonzaga. Chegou a vender mais de um milhão de discos na carreira. No final da década de 1970, passou gravar jingles publicitários, e gravou mais de 2 mil.

Entre os anos 1970 e 80 ela foi jurada de calouros no programa dominical de Silvio Santos. Nos anos 90, fez parte do quarteto vocal 4x4 ao lado de Edgard Gianullo, Angela Márcia e Faud Salomão. Apadrinhados por João Gilberto se apresentaram no prêmio Sharp de música, no programa especial Jazz Brasil da TV Cultura e com Edu Lobo gravaram a música "Trava Língua" para trilha sonora do programa Castelo Rátimbum. Em 1997 o grupo se dissolveu.

Em 2000, passou a se dedicar à gravadora Number One (sua e do marido). Em 2001 lançou o álbum Suave É a Noite. Em 2007, lançou um DVD comemorativo dos 40 anos da Jovem Guarda, e vinha trabalhando na divulgação desse trabalho.

Quando morreu, estava internada havia 21 dias no Hospital 9 de Julho, em decorrência de complicações do câncer de mama contra o qual lutou por 12 anos. Foi enterrada em Itapecerica da Serra.

 

Clique no link e ouça a música

 

http://mais.uol.com.br/view/13318903

 


The Jet Blacks - Chapeuzinho Vermelho

 

Formado em 1961, o Jet Black foi um dos primeiros grupos brasileiros de rock instrumental. Like the other groups of the same period ( the Jordans , the Fellows, and the Avalons , among others), the Jet Black's were influenced by the English group the Shadows, and by the American the Ventures . Como os outros grupos do mesmo período ( os Jordans , os companheiros, e os Avalons , entre outros), o Jet Black foram influenciadas pelo grupo Inglês The Shadows, e pelos americanos The Ventures . After backing up famous interpreters, they were allowed to record their own albums. Depois de fazer o backup de intérpretes famosos, eles foram autorizados a gravar seus próprios álbuns. The Jet Black's were Chantecler 's first group in this line to have success, which made it possible for the recording company to compete with Copacabana , which had the Jordans . O Jet Black eram Chantecler o primeiro grupo nesta linha para ter sucesso, o que tornou possível para a empresa de gravação para competir com Copacabana, que teve os Jordans . Their first single ("Apache"/"Kon-Tiki") scored a hit, and was followed by Hully-Gully (1962), Twist/The Jet Black's Again (1963), and Top Top Top, the latter heavily influenced by the Beatles . Seu primeiro single ("Apache" / "Kon-Tiki") fez sucesso, e foi seguido por Hully-Gully (1962), Twist / The Black Jet é novo (1963), e Top Top Top, este último fortemente influenciado pelos Beatles . They also backed up singers like Galli Jr./ Prini Lorez (founder of the Rebels) on "What'd I Say" (Ray Charles), Ronnie Cord on "Rua Augusta" (1964), Deny & Dino and Roberto Carlos (1966), Sérgio Reis , Celly Campelo , and others, sharing with the Clevers the preference of the artists of São Paulo. Eles também apoiada cantores como Galli Jr. / Prini Lorez (fundador dos rebeldes) em "O que eu disse" (Ray Charles), Cabo de Ronnie em "Rua Augusta" (1964), Deny & Dino e Roberto Carlos (1966 ), Sérgio Reis , Celly Campelo , e os outros, compartilhando com os Clevers a preferência dos artistas de São Paulo. In 1965, the group performed at the official opening of the Jovem Guarda TV show, with Roberto Carlos, Erasmo Carlos , Wanderléa , and others; it was the same year in which they recorded vocals for the first time, on The Jet Black's. Em 1965, o grupo se apresentou na abertura oficial da Jovem Guarda de TV, com Roberto Carlos , Erasmo Carlos , Wanderléa , e outros, foi o mesmo ano em que gravaram vocais para a primeira vez, no The Black Jet. In 1966, the Jet Black's had another hit with the double single Zorba, O Grego, which also had their biggest hit, the old youth anthem "Theme for Young Lovers" (recorded by the Shadows) and departed for tours in Paraguay and Japan. Em 1966, o Jet Black teve outro hit com o Zorba single duplo, O Grego, que também teve seu maior hit, a antiga juventude hino "Theme for Young Lovers" (gravado pelos Shadows) e partiu para turnês no Paraguai e Japão. In 1967, the guitarist Gato left the group and the Jet Black's became exclusively a house band (for Continental ), recording occasional albums with their hits until the '90s. Em 1967, o Gato guitarrista deixou o grupo e Jet Black se tornou exclusivamente uma banda da casa (para a Continental), gravando álbuns ocasionais com seus hits até os anos 90. Still active, the group re-recorded "Apache" for the box set 30 Anos da Jovem Guarda. Ainda ativo, o grupo regravou "Apache" para o box set 30 Anos da Jovem Guarda. 

 

Clique no link e ouça a música

 

http://mais.uol.com.br/view/13318914

 

            

 


Ronnie Von - Meu Bem

 

Ronaldo Lindenberg Von Schilgem Cintra Nogueira, mais conhecido como Ronnie Von (Niterói, 17 de julho de 1944),


Começou sua carreira na época da Jovem Guarda (embora nunca tenha participado no programa apresentada por Roberto Carlos, Erasmo e Wanderléia), obtendo grande sucesso com as canções A praça (de autoria de Carlos Imperial) e Meu bem (uma versão em português do próprio Ronnie para a música Girl dos Beatles). Em 1966, apresentou na TV Record o programa "O pequeno mundo de Ronnie Von", no qual interpretava um personagem baseado no livro O pequeno príncipe, herói da literatura infantil. A parti daí ficou conhecido como "O pequeno príncipe", apelido que o acompanhou durante alguns anos, também como uma forma de comparação ao apelido de "Rei" dada a Roberto Carlos, já que a mídia na época tinha criado um clima de rivalidade entre os programas dos respectivos cantores. De qualquer forma, "O pequeno mundo de Ronnie Von" ganhou um certo destaque na mídia, atraindo artistas diferentes daqueles dos quais o programa Jovem Guarda costumava receber, dentre eles os futuros tropicalistas: Caetano Veloso, Gilberto Gil e Os Mutantes. Estes últimos, após sua primeira apresentação no programa, ainda conhecidos como "Os Bruxos", viraram atração permanente no programa, tendo em seguida, por sugestão de Ronnie Von, mudado o nome do grupo para "Os Mutantes", nome inspirado no livro "O império dos Mutantes", que Ronnie lia na época.

No final da década de 60, Ronnie gravou três discos que são verdadeiras relíquias na história da música brasileira. Abusando da psicodelia, muito influenciado por Beatles e antenado com o rock feito na época, Ronnie Von grava um disco homônimo, o A Misteriosa Luta do Reino de Parassempre contra o império de Nuncamais e Máquina Voadora. Por contar com o desapontamento da gravadora, que na época acreditou que os discos não eram comerciais, fizeram pouco sucesso à época. Hoje, são comprados por pequenas fortunas por colecionadores.

Nos anos 70 voltaria a fazer sucesso na televisão. Além de apresentar um programa de auditório na TV Tupi, fez a novela Cinderela 77.

Em 1984 casou-se com a atriz Bia Seidl, de quem logo se separaria.

Escreveu o livro Mãe de gravata, em que conta sua experiência de ficar com a guarda dos filhos após a separação.

Definindo-se como um metrossexual, nos últimos anos começou a apresentar programas dirigidos ao público feminino, contando com a participação da sua atual esposa Cristina, que o conhecia desde a infância. Na CNT, comandou o Mãe de Gravata.

Desde 2004, Ronnie Von apresenta o programa Todo Seu, exibido diariamente nas noites da TV Gazeta, a partir das 22h15 na referida emissora. Seu programa registra audiência qualificada com médias em torno de 2 pontos, pico que bate na casa dos 3. O programa Todo Seu chega a bater de frente.

 

Clique no link e ouça a música

 

http://mais.uol.com.br/view/13318920

 

 


Leno e Lilian - Eu Não Sabia Que Você Existia

 

Leno e Lílian era uma dupla de cantores que começou a se apresentar nos anos 60 no programa Jovem Guarda. Era formada por Gileno Osório Wanderley de Azevedo (Natal, 25 de Abril de 1949) e Sílvia Lília Barrie Knapp (Rio de Janeiro, 30 de Março de 1948).

Em 1966, a dupla lançou o primeiro disco, com as canções "Pobre Menina" e "Devolva-me". O primeiro LP, gravado logo em seguida, incluía essas duas primeiras músicas e ainda "Eu Não Sabia Que Você Existia", outro sucesso.

Já em 1968, com uma separação da dupla, Leno seguiu carreira solo e gravou alguns discos com relativo êxito. Em 1972 eles voltam a se apresentar juntos. Nesse período, lançam canções produzidas e compostas por Raulzito (Raul Seixas), Renato Barros e outros autores, além de composições próprias.

Ao longo das décadas de 1970 e 1980, Lílian e Leno desenvolveram carreiras solo, com alguns breves reencontros.

Em 1980, Lílian obteve grande sucesso com a canção "Sou Rebelde". Nesta época, Lílian posa nua para uma edição especial da revista Homem, da Idéia Editorial.

Nos anos 90, Leno e Lílian participaram de shows comemorativos aos 30 anos de Jovem Guarda e se apresentaram juntos ou separadamente. Alguns discos da dupla e individuais de Leno foram relançados em CD.

Em 2001, Lílian volta em dose dupla: com o CD Lilian Knapp, seu primeiro álbum desde 1992, e o livro Como um Conto de Fadas (Editora Qualigraph), pequeno volume que é uma espécie de "autobiografia informal" da cantora.

Atualmente, Lilian (sob o nome Lil Knapp) faz parte da dupla de rock Kynna com o baterista Kdu Nolla. A dupla chegou a gravar alguns clássicos do rock nacional, com arranjos e cordas do guitarrista Luis Carlini.

Leno segue fazendo shows em todo o Brasil, que tão cedo começou a conhecer. Acabou de gravar seu novo DVD, com sucessos e músicas inéditas, além de estar em fase de divulgação do seu novo CD, "Canções com Raulzito", em parceria com o também lendário Raul Seixas.

 

Clique no link e ouça a música

 

http://mais.uol.com.br/view/13318930

 


Celly Campello - Estúpido Cupido

 

Célia Benelli Campello, cujo nome artístico era Celly Campello (|São Paulo, 18 de junho de 1942 — Campinas, 4 de março de 2003) foi uma cantora e precursora do rock no Brasil. Também fez uma participação como atriz na novela Estúpido Cupido.

Depois de casada, passou a assinar Célia Campello Gomes Chacon.

Nascida na capital paulista e criada em Taubaté, Celly começou sua carreira precocemente: dançou "Tico-Tico no Fubá" aos cinco anos numa apresentação infantil. Com seis anos cantou na Rádio Cacique em Taubaté, onde passou toda sua infância. Se tornou uma das participantes do Clube do Guri (Rádio Difusora de Taubaté). Estudou piano, violão e balé durante a infância.

Aos doze anos já tinha o próprio programa de rádio, também na Rádio Cacique. Aos quinze anos de idade (1958) gravou o primeiro disco, em São Paulo no outro lado do primeiro 78 rotações do irmão Tony Campello que a acompanhou em boa parte da carreira como cantora e atriz. Estreou na televisão no programa Campeões do Disco, da TV Tupi, em 1958. Em 1959 estreou um programa próprio ao lado do irmão Tony Campello, intitulado Celly e Tony em Hi-Fi, na Rede Record, o qual apresentou por dois anos.

A carreira explodiu em 1959 com a versão brasileira de Stupid Cupid, que no Brasil virou Estúpido Cupido. A música foi lançada no programa do Chacrinha e se tornou um sucesso em todo país no ano de 1959. Nesse mesmo ano participou do longa-metragem de Mazzaropi, Jeca Tatu.

Durante a vida gravou outros sucessos: Lacinhos Cor-de-Rosa, Billy, Banho de Lua, que lhe renderam inúmeros prêmios e troféus, inclusive no exterior, e lhe deram o título de Rainha do Rock Brasileiro.

Para tristeza de toda uma geração que se espelhou no trabalho, Celly abandonou a carreira no auge, aos 20 anos, para se casar e morar em Campinas. Foi em 1962, com José Eduardo Gomes Chacon, o namorado desde a adolescência. Com José Eduardo, com quem permaneceu casada até morrer, Celly teve dois filhos, Cristiane e Eduardo, e dois netos.

Celly vinha sendo cogitada para apresentar o programa Jovem Guarda (TV Record), ao lado de Roberto e Erasmo Carlos. Como abandonou a carreira, Wanderléa tomou seu lugar.

Em 1976, foi trazida de novo ao sucesso graças a telenovela Estúpido Cupido (homônimo do grande sucesso, de 1959) na TV Globo, na qual gravou uma participação especial. Incentivada pelo sucesso da novela, tentaria retomar a carreira, chegando a gravar um disco e fazendo alguns espetáculos. Mas com o término da novela, voltou ao ostracismo.

Vítima de um câncer, Celly morreu em 3 de março de 2003, no HospitalSamaritano em Campinas.[2

Em 2008, a emissora de televisão Rede Globo licenciou as canções "Banho de Lua" e "Broto Legal" para serem utilizadas como música incidental da novela Ciranda de Pedra; nenhuma das duas foi incluída no CD de trilha sonora da novela.

 

Clique no link e ouça a música

 

http://mais.uol.com.br/view/13347494

 


Deny & Dino - Shut Up

 

Deny e Dino é uma dupla musical brasileira formada inicialmente pelos cantores e compositores José Rodrigues da Silva, o Deny (Santos, 1944) e Décio Scarpelli, o Dino (Santos, 1942 – São Paulo, SP 1994).

A dupla se conheceu em Santos, em 1956, e no final da década de 1950 formavam "Os Boas Pintas", que cantava nas rádios e boates. Nos anos 60, convidados para participar dos programas de televisão de Hugo Santana, adotaram os cognomes de Deny e Dino, e na época gravaram o primeiro compacto, para a Odeon, em 1966, com a música Coruja (da dupla), que obteve grande sucesso. Participantes do programa Jovem Guarda, da TV Record, em São Paulo, lançaram várias composições, como “Eu não me importo”, “Lição de moral”, “O estranho homem do disco voador”, incluídas todas no LP Coruja, que vendeu mais de dois milhões de cópias, um feito inacreditável para a época.

Em 1969 a dupla gravou o LP Deny e Dino, também pela Odeon. Outros sucessos foram: O maior golpe do mundo (Continental, 1975), com música-título de Marcos Lago e Dino Rossi, e Cantem comigo (Top Tape, 1973).

A dupla gravou mais de 30 compactos e 10 LPs e participou de muitos programas de televisão da década de 1960. Assunto obrigatório em jornais e revistas, a dupla esteve com muitas outras músicas nas paradas de sucesso da época e ganhou vários discos de ouro e troféus como os famosos Chico Viola e Roquete Pinto.

Suas músicas também foram tocadas em todos os países da América Latina.

Após a morte de Dino, em 1994, Deny continuou carreira com outro parceiro, Elliot de Souza Reis, que desde 1996 manteve o cognome Dino, e gravou o CD Essencial (selo Acervo, 1995), com regravações de antigos sucessos ao lado de músicas novas. Deny participou também de shows comemorativos dos 30 anos da Jovem Guarda e passou a apresentar programas de rádio dedicados ao rock das décadas de 1950 e 1960.

Atualmente Deny mora no bairro do Jardim Suarão, na Baixada Santista.

 

Clique no link e ouça a música

 

http://mais.uol.com.br/view/13347765

 


Wilson Miranda - Alguém É Sempre Bobo de Alguém

 

Wilson Antonio Chaves de Miranda nasceu em Itápolis em 27 março de 1940 e começou sua carreira no final dos anos 50, como crooner de um conjunto de jazz.
Em 1960 assinou contrato com a Rádio Tupi e passou a cantar rock-balada. Apesar de não ter sido bem recebido pela crítica, Wilson conseguiu sucesso comercial com músicas como "Alguém É Sempre Bobo de Alguém" e "Bata Baby" (versão de Long Tall Sally de Little Richard).
Em 1965 gravou "Tempo Novo", disco que lhe rendeu muitos prêmios. Mesmo assim, nos anos seguintes deixou a carreira de cantor em segundo plano, atuando como produtor em discos de Nelson Gonçalves, Bendegó, Banda de Pífanos de Caruaru, Originais do Samba, Célia, Vanusa, Marília Medalha, entre outros. Em 1978 voltou a gravar, dessa vez com um repertório mais voltado para a Música Popular Brasileira, afastando-se definitivamente da imagem de roqueiro do início de sua carreira.
Wilson faleceu em 20 de junho de 1986, vítima de uma parada cardíaca, quando dirigia seu carro, e estava parado em um sinal de trânsito em São Paulo.

 

Clique no link e ouça a música

 

http://mais.uol.com.br/view/13347600

 


Sergio Reis - Coração de Papel

 

Sérgio Bavini mais conhecido como Sérgio Reis (São Paulo, 22 de junho de 1940), é um cantor sertanejo e ator brasileiro, famoso pelo seu repertório diversificado.

Paulistano nascido no tradicional bairro de Santana, fez parte da Jovem Guarda na década de 1960, criando em 1967 a música "Coração de papel". Gravou seu primeiro disco de música sertaneja com a música "Menino da gaita" em 1972. Seguiu-se o sucesso de "Menino da Porteira", "Adeus Mariana", "Disco Voador", "Panela Velha", "Filho Adotivo", "Pinga ni Mim" e várias outras canções. Seu disco "O Melhor de Sérgio Reis", lançado em 1981, vendeu mais de 1 milhão de cópias.O cantor optou por adotar o sobrenome de sua mãe , pois não achava o sobrenome de seu pai adequado para o ramo artístico.

No ano de 2002, Sérgio Reis prestou uma homenagem a Roberto Carlos, com o CD intitulado "nossas canções", onde "Serjão" interpretou músicas gravadas pelo Rei Roberto Carlos, de autoria deste em parceria com Erasmo Carlos e de outros compositores.

No ano de 2003, Sérgio Reis gravou seu primeiro DVD, intitulado "Sérgio Reis e filhos - violas e violeiros", e como o próprio título diz, "Serjão" teve seus filhos como músicos na apresentação.

Em 2010, para comemorar os mais de 40 anos de parceira, Sérgio Reis e Renato Teixeira lançaram o álbum (CD e DVD) ao vivo Amizade Sincera, que reuniu clássicos da música sertaneja.

Em 3 de março de 2012, o cantor caiu de uma altura de aproximadamente dois metros durante apresentação em show na cidade de Três Marias, em Minas Gerais e permaneceu internado para exames mais detalhados .

 Carreira como ator

Como ator, trabalhou em algumas telenovelas, como Pantanal e A História de Ana Raio e Zé Trovão, na extinta TV Manchete, e Paraíso" e "O Rei do Gado, na Rede Globo. Seu último trabalho como ator foi na telenovela Bicho do Mato, na Rede Record.

Na telenovela "O Rei do Gado", o personagem de Sérgio fazia uma dupla sertaneja com o personagem de Almir Sater, e a dupla era denominada na telenovela "Pirilampo & Saracura", tendo gravado, inclusive, músicas para a trilha sonora.

 

Clique no link e ouça a música

 

http://mais.uol.com.br/view/13347597

 


 Nilton Cesar - Professor Apaixonado

 

Nome: Nilton César

Maiores Sucessos: Férias Na Índia, Professor Apaixonado, A Namorada que Sonhei

Existe um ditado que diz: O tempo dirá? Nilton César é sinônimo de um longo tempo numa carreira de sucessos.

Nascido no triângulo mineiro, na cidade de Ituiutaba, aso 17 anos saiu de sua cidade natal em busca de seu grande ideal.

Ainda como estudante no Rio de Janeiro, dividia seu ideal entre os livros e a música. Participou em programas de calouros sempre obtendo bons resultados.
Em 1961, a convite de um amigo veio para São Paulo, iniciando assim sua carreira profissional. Realizou o seu primeiro trabalho pela gravadora RGE, passando-se por outras gravadoras tais como: Continental, RCA, Victor, Copacabana, Diz music Canadá e recentemente pela gravadora Atração.

Tendo gravado 32 Lps, sendo 6 deles em Espanhol, e até o ano de 2006 gravou mais 10 Cd´s, totalizando em sua carreira 12 discos de Ouro.

Tem como destaque canções como: Professor Apaixonado, Casa Vazia, São tantas Coisas, Férias na Índia, Espere um pouco, Amor...Amor...Amor..., Felicidade, A namorada que sonhei Etc..

Seu sucesso ultrapassou as fronteiras do Brasil e chegaram a países como Canáda, EUA, Portugal, Africa do Sul, Argentina, Colombia Etc.

 

Clique no link e ouça a música

 

http://mais.uol.com.br/view/13347587

 

 


Carlos Gonzaga - Diana

 

Carlos Gonzaga (Paraisópolis, MG, 10 de fevereiro de 1926) é um cantor brasileiro, que fez sucesso nacional com a versão de Diana (gravação original de Paul Anka) em 1958, com a versão de Oh! Carol e Cavaleiros do céu.
Aos 17 anos, mudou-se para Campos do Jordão.
Carlos Gonzaga, além das versões das canções de Paul Anka, alcançaria um grande êxito quando gravou a versão em português da música tema da série de TV Bat Masterson, provavelmente o mais famoso no estilo Bang-Bang dos que foram exibidos na televisão brasileira nos anos de 1960.
Fez shows por todo o país e é reconhecido internacionalmente, se apresentando nos principais palcos da América Latina.
No cinema, atuou em Virou Bagunça. Em 2005 participou do programa Cidade Nota 10, da Rede Bandeirantes, representando Santo André. Em 2006 recebeu o título de "Cidadão Andreense".

 

Clique no link e ouça a música

 

http://mais.uol.com.br/view/13347503

 

 


 

The Youngsters - Tijuana

 

Grupo carioca formado em 1960, inicialmente Com O Nome De "The Angels". Começaram a gravar justamente naquele ano para a coletânea "The Sensacional New Stars", interpretando "Listed In", disco lançado pela Gravadora Young. No ano de 1962, lançou o primeiro LP, "Hully Gully", pela gravadora Copacabana. Em 1963, acompanham Roberto Carlos no seu primeiro Lp. E tambem naquele ano o grupo foi contratado pela Gravadora CBS, e gravam o primeiro disco por esta gravadora, intitulado "Twist,Only Twist". Na sua formação, a Banda trazia Carlos Becker (Guitarra-Ritmo e Liderança), Carlos Roberto (Guitarra Solo), Jonas (Contrabaixo), Sérgio Becker (Saxofone) e Romir (Bateria).

 

Clique no link e ouça a múisica

 

 http://mais.uol.com.br/view/13383502

 


Trio Melodia - Se Seu Amor Fosse Prá Mim

 

Foi um grupo musical brasileiro da década de 1960, formado na Rádio Nacional do Rio de Janeiro em 1943, a fim de suprir as necessidades do programa Um Milhão de Melodias. Era integrado por Paulo Tapajós, chefe de departamento da emissora e ex-integrante do duo Irmãos Tapajós, e pelos cantores Albertinho Fortuna e Nuno Rolando que continuaram suas carreiras paralelamente.

O trio gravou apenas na Continental e estreou em disco em 1945, com a toada De papo pro á (Joubert de Carvalho e Olegário Mariano) e o samba Pregões cariocas (João de Barro).

Nuno Roland e Albertinho Fortuna também cantaram solos nas gravações do conjunto, caso de Nuno Roland no grande sucesso Lancha nova, marcha de João de Barro e Antônio Almeida, no Carnaval de 1950.

Entre os sucessos do trio, destacou-se o rojão Catirina (Jararaca), no mesmo ano. Até 1955 gravaram, em 78 rpm, 37 discos com 62 músicas.

 

Clique no link e ouça a música

 

http://mais.uol.com.br/view/13383536

 


 The Sunshines - O Último Trem

 

 O Sunshines começou no encontro de Geraldo Brandão (guitarra e vocal e de seu irmão João Augusto Soares Brandão Neto (Guty) (Os dois já cantavam juntos desde crianças todo o repertório dos Everly Brothers) com o Walter Davila Filho (filho do comediante Walter Davila). Geraldo e Guty são filhos do comediante Brandão Filho. Fizeram um trio, O Walter na guitarra solo, Brandão na Base e cantando e seu irmão cantando. Isso ocorreu em 1964. Chegaram a fazer alguns programas na TV Excelsior com esta formação. Ainda em 64,entraram no grupo,o Rakami, baixista, primo do Walter e logo após ,o Dândalo, baterista e dessa forma fizeram a primeira formação completa e original.

O grupo teve várias influências como: Little Richards, Elvis, Beatles, Byrd entre outros.

 

Clique no link e ouça a música

 

http://mais.uol.com.br/view/13383551